MARTA SFREDO ZERO HORA P. 11: As prioridades econômicas de Biden e o papel do Brasil

As prioridades de Joe Biden, presidente eleito dos Estados Unidos, ficaram claras não no discurso de vitória, feito sábado à noite, mas no anterior, na madrugada do mesmo dia. A partir de 20 de janeiro, mas com providências já adotadas a partir de ontem, o 46º presidente americano terá quatro focos imediatos: combater a covid-19, recuperar a economia, frear a mudança climática e enfrentar o racismo sistêmico. Até agora, a recusa de Donald Trump em admitir a derrota e a insistência em judicializar a disputa têm sido consideradas apenas birra.

Mas como Biden anunciou a formação de um comitê de cientistas para combater a pandemia, a teimosia de Trump pode atrasar uma transição já delicada. A terceira prioridade de Biden, de frear a mudança climática, terá o maior impacto sobre o Brasil, para o bem e para o mal, mas seu foco na recuperação da economia também provocará reflexos no Brasil. Nas projeções de grandes bancos globais, um governo Biden vai favorecer países emergentes com o prolongamento das baixas taxas de juro nos EUA e com a perspectiva de um pacote de estímulos que supere os US$ 2 trilhões, como os democratas defenderam até agora.

Os maiores impactos para o Brasil

MUDA TUDO

Na área ambiental: com Biden, os EUA voltam ao Acordo de Paris e aumentam a pressão sobre o Brasil sobre a preservação da Amazônia. Vai se somar a governos europeus, fundos de investimento internacionais e empresários brasileiros. É o maior risco para o Brasil se o governo Bolsonaro mantiver a postura negacionista, mas pode se tornar uma oportunidade se o Plano Biden para a Revolução da Energia Limpa e Justiça Ambiental provocar efeitos rápidos. O Brasil tem ativos, como a Floresta Amazônica, e a matriz de energia baseada em energia limpa (predominantemente hídrica, mas com expansão crescente em eólica e solar).

MUDA UM POUCO

Nos acordos bilaterais: não deve ocorrer retrocesso nos avanços até agora, que envolvem o que os especialistas chamam de “facilitação do comércio”, que incluem retirada de barreiras não tarifárias no comércio bilateral e simplificação de procedimentos burocráticos. Mas até como forma de pressão na questão ambiental, novos avanços devem ser condicionados ao alinhamento do Brasil a estratégicas práticas de preservação.

NÃO MUDA

Na relação com a China: embora exista expectativa de redução no conflito comercial entre EUA e China, mais do ponto de vista formal do que no de conteúdo, é o que menos deve mudar do ponto de vista brasileiro. A pressão para que o governo Bolsonaro vete a tecnologia da Huawei deve continuar com a mesma intensidade.

Imóvel vira garantia de financiamento

Impulsionada pelo bom momento no mercado imobiliário, a One Imóveis de Luxo lançou um serviço para facilitar o acesso dos clientes ao financiamento imobiliário. A CrediOne é uma plataforma digital que oferece consultoria e simulação de financiamentos nas instituições financeiras.

Também dá assessoria para a modalidade de crédito home equity, termo em inglês para transações que têm imóvel como garantia. Segundo Cristiano Cruz, CEO da CrediOne, entre as vantagens do modelo está a possibilidade de financiar com prazo maior do que o habitual, em até 180 meses. Para os bancos, o formato apresenta menor risco de inadimplência:

– A principal diferença é que um crédito imobiliário serve apenas para financiar a compra, enquanto na modalidade home equity o cliente oferece um imóvel que esteja quitado em seu nome como garantia, mas pode usar o valor do empréstimo para qualquer finalidade.

Segundo Cruz, a modalidade tende a ter juros mais baixos, com o uso do imóvel como garantia. Mas é preciso atenção: o banco se torna dono do imóvel durante o período em que a dívida existir; portanto, é necessária a transferência da propriedade para a instituição financeira.

13,9%
foi a disparada nas ações da alemã BioNTech ontem na Nasdaq, a bolsa de tecnologia de Nova York, onde havia feito sua abertura de capital na quinta-feira passada. A BioNTech é parceira da americana Pfizer na vacina que apresentou mais de 90%de eficácia em análise preliminar da fase 3 dos testes.

7,7%
foi a alta das ações da americana Pfizer na Bolsa de Nova York. Lá e aqui, o mercado teve comportamento de “fim da pandemia”: subiram ações de empresas aéreas e petroleiras, cairam as de entregase as da Netflix.

Amazon teve apoio para CD no RS

Depois de fazer suspense, a Amazon anunciou oficialmente sua maior expansão no Brasil, com a abertura de novos centros de distribuição (CDs) em Nova Santa Rita, Betim (MG) e Santa Maria (DF). Com as três novas estruturas, a gigante do e-commerce cria 1,5 mil empregos e amplia para 500 o número de municípios com entrega em até dois dias. Ricardo Pagani, diretor de operações da Amazon, detalhou à coluna que ainda não pode prometer entrega em dois dias em todo o Estado, só na Região Metropolitana e nas maiores cidades.

– Fizemos o maior movimento no Brasil, mas não significa que encerramos a expansão da nossa rede. Vamos continuar investindo, temos um compromisso de longo prazo com o Brasil. Nas três áreas em que nos instalamos, há espaço para ampliar a capacidade, se for necessário – disse Pagani.

Dado o precedente com o Mercado Livre, que alegou obstáculos para operar no Estado, a coluna quis saber como foram as negociações com o governo para instalação no Estado.

– Tivemos todo o apoio do governo do Estado. Queremos inclusive agradecer o suporte que tivemos. Na área tributária, estamos satisfeitos com o que foi proposto. Não foi necessária nenhuma adaptação – respondeu.

5G já funciona em bairros da Capital

A tecnologia 5G DSS está funcionando em mais da metade dos 25 bairros de Porto Alegre anunciados pela operadora Claro. As instalações são feitas na madrugada para evitar problemas no atendimento à rede atual. Conforme o diretor de marketing da empresa, Márcio Carvalho, quem tiver um celular compatível com a tecnologia já pode usar: não precisar trocar plano nem chip, só o aparelho.

– É uma implantação gradativa. Em cada antena, troca-se o rádio de transmissão e se passa a operar com tecnologia nova. Quem tem smartphone compatível já pode usar, quem não tem segue operando normalmente. Não precisa trocar plano nem chip – diz Carvalho.

O executivo compara a nova tecnologia à freeway. A 5G NR (de New Radio, ou novo espectro) corresponde à construção de novas pistas, que permitem aumentar tráfego e velocidade, mas leva mais tempo. A 5G DSS é uma melhoria nas faixas já existentes, que também melhora as condições e pode ser implantada rapidamente.

Em Porto Alegre, a parceira de tecnologia da Claro em 5G DSS é a sueca Ericsson. Segundo Carvalho, o 5G DSS permite uso de soluções de internet das coisas (IoT, na sigla em inglês), para a qual as empresas já se preparam.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Associe-se hoje mesmo a quem defende e apoia você!