Bem-vindo à Associação dos Oficiais da Brigada Militar do Rio Grande do Sul

Representar os Oficiais é a nossa missão.

MÔNICA BERGAMO FOLHA DE S. PAULO P. 7:Fim da picada

Uma eventual campanha de vacinação contra a Covid-19 no país pode esbarrar em um empecilho: a falta de seringas para a aplicação quando, e se, o imunizante for aprovado.

AGULHA
“A demanda pelo insumo vai crescer exponencialmente no mundo todo”, diz Paulo Henrique Fraccaro, superintendente da Abimo, a associação brasileira de produtores de itens hospitalares. “E o governo vai ter que continuar com as campanhas normais contra o sarampo, a dengue etc.”

INJEÇÃO
Fraccaro afirma que a capacidade anual máxima de produção de seringas pela indústria brasileira é de 1,5 bilhão por ano. “O tempo de produção para 50 milhões de seringas aqui é de cinco meses”, segue o superintendente.

APLICAÇÃO
“Mas só para vacinar contra a Covid-19, o Brasil vai precisar no mínimo de 300 milhões de seringas num prazo de três ou quatro meses”, segue ele, que diz ter baseado o cálculo na população brasileira, de cerca de 210 milhões de habitantes. “Não pode deixar para a última hora”, defende Fraccaro, que diz já ter levado o assunto ao Governo de SP e ao Ministério da Saúde.

DOSE
A Secretaria da Saúde de SP diz que possui expertise na realização de campanhas de vacinação e que tem “o total compromisso com o planejamento de aquisição, logística e ações de vacinação contra Covid-19 tão logo haja imunizante disponível e definição de cronogramas e população alvo”.

DOSE 2
O Ministério da Saúde aponta que o Sistema Único de Saúde (SUS) “possui um dos maiores programas de vacinação do mundo”, que “o Brasil já prepara a rede de logística para o desafio de vacinar a população contra a Covid-19” e que “as aquisições de seringas e agulhas serão compatíveis com a necessidade de cobertura populacional”.

VIZINHANÇA
Na semana passada, a União Europeia alertou seus países-membros para o risco de falta de seringas em uma possível vacinação em massa contra a Covid-19.​

VOLANTE
Com dor no coração, o ator Tonico Pereira colocou a sua coleção de carros antigos para alugar. “Tenho o maior ciúme deles”, diz o artista, que tomou a decisão como forma de reforçar o seu orçamento durante a pandemia de Covid-19. “Tá apertado. A gente tem que se virar.”

CARONA
Entre os “cinco ou seis” veículos raros que ele possui está um Plymouth Barracuda 1967 conversível, “o único do Brasil”. “Tem uma banda interessada em alugar para fazer um clipe”, conta Tonico, que diz que “o preço é a conversar”. “E os carros vão e voltam de guincho, só andam no percurso combinado.”

EM PAUTA
O STJ (Superior Tribunal de Justiça) vai analisar recurso da União contra a liminar que restabeleceu o pagamento de aposentadoria ao ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli, em sessão virtual da Primeira Seção do tribunal na quarta (12).

VAIVÉM
O presidente do STJ, João Otávio de Noronha, restabeleceu o pagamento da aposentadoria em janeiro. Ela havia sido cassada em dezembro pela CGU (Controladoria Geral da União).

VAIVÉM 2
A sanção foi aplicada após processo administrativo da CGU, aberto diante de denúncias de irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

MÃO ESTENDIDA
Um pedido de ajuda para custear o translado de dom Pedro Casaldáliga, de São Félix do Araguaia (TO) para Batatais, em São Paulo, em uma UTI aérea acabou coletando, em apenas um dia, mais do que os R$ 35.900 necessários para pagar o serviço. O religioso estava com um quadro de pneumonia grave —ele morreu no sábado (8).

DE VOLTA
As despesas tinham sido divididas entre a Congregação dos Claretianos, a dos Agostinianos e a Prelazia de São Félix —cada um desembolsou R$ 11.900. Diante da situação difícil dos religiosos, amigos de dom Pedro resolveram tentar fazer a coleta para reembolsar as organizações.

DE VOLTA 2
Com o sucesso, ela foi suspensa. E o excedente será repassado à Prelazia de São Félix.

QUEDA
A Cia. Mungunzá de Teatro se prepara para estrear o espetáculo virtual “Poema em Queda-Livre”. A obra é inspirada em outra peça da companhia, “Poema Suspenso para uma Cidade em Queda”, e será dividida em três episódios —cada ator participa de sua casa.

QUEDA
O videoartista Flavio Barollo vai participar do espetáculo a partir da manipulação de imagens ao vivo e de vídeo mapping. A estreia será no dia 16 de agosto dentro da programação Teatro #EmCasaComSesc.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Associe-se hoje mesmo a quem defende e apoia você!